Ao mestre, sem carinho

São só meus velhos sonhos que voltaram
Como quem perfeitamente veste uma canção
Como quem descobre que a vida
É dos que perdem o fôlego e a noção

São só minhas velhas lágrimas de sempre
Não ligue, não faz parte do seu plano
E de tanto ignorar quem nos protege
Hoje somos dependentes de estranhos

E ao mestre, sem carinho
Devolvo numa carta sem PS
A vida cheia de fórmulas
Seu quadro e seu giz

Tudo o que tentou roubar de mim
Encanto, pureza e emoção

É que no meu mundo
A gente ri do nada
Se ama sem querer
Se encontra por acaso
E chama isso de viver

E ao mestre, sem carinho
Todos os ouvidos que eu não dei
Agora é tarde
A vida me ensinou a não ter leis

São só meus velhos medos sem sentido
Incrível como são tão verdadeiros
E de tanto dar vazão a tudo isso
Hoje eu tenho medo de mim mesmo

E ao mundo eu deixo  
Todos os sorrisos que eu não dei
Agora é tarde
A vida já passou e eu nem liguei

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s