Incomum

Eu não sei, às vezes tudo parece tão incomum.

Sim, por que comum era o teu perfume na minha mão depois que afagasse o teu rosto numa tarde triste.

Comum era o teu sorriso na minha estante e a tua lágrima na minha lembrança.

Comum era o teu sonho preso a minha luta para que você nunca deixasse de acreditar nele, como a loba que protege todos os seus filhos.

Comum era o simples fato da tua presença a centímetros pra me fazer alguém mais completo.

Comum, o que era mesmo comum?

Ah, comum era a tua luz, a tua sombra me seguindo pra onde quer que eu fosse, mesmo que para um poço sem fundo, pois, eu sei que você estaria lá, com sua pequenina mão me puxando para o teu céu, onde o sol sempre impera nos dias que a tempestade domina toda a minha alma.

so

Anúncios

4 opiniões sobre “Incomum”

  1. Comum e incomum moram no mesmo lado da rua, seguem juntos, se parecem, idênticos, sombras. Incomuns e luminosos são aqueles que conseguem enxergar a diferença bela entre estes. Você, poeta, é incomum para mim pois sua poesia é bela;entretanto seu conceito de comum é simplesmente e puramente seu. Mas assim são as palavras, se transformam na medida que tocam nossos incomuns e comuns momentos. Admiro você. É lindo ser um poeta incomum.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s